terça-feira, 2 de dezembro de 2014

OLHANENSE - AVES, 2-3; SEGUNDA LIGA 16ª JORNADA

O Aves conquistou este sábado a primeira vitória fora na 2.ª Liga, ao bater o Olhanense, por 3-2, em jogo da 16.ª jornada da prova, marcado por uma ponta final emocionante.

Em jogo com três grandes penalidades, todas convertidas, os algarvios saíram para o intervalo em vantagem, com golo de Paulo Regula, mas a partida ganhou mais emoção na segunda parte, quando os avenses deram a volta, com dois tentos de Mauro Caballero, viram Semedo empatar aos 89 minutos e festejaram o triunfo nos descontos, graças a Pedro Pereira.

O equilíbrio imperou nos momentos iniciais do jogo, com as duas equipas adormecidas, depois de Gonzalez Prado ter desperdiçado uma flagrante oportunidade para os locais, a um metro da linha de golo, logo no primeiro minuto. Uma boa jogada coletiva, concluída com remate de Rodrigo António e boa defesa de Quim, aos 24 minutos, deu o mote para o domínio dos algarvios, que chegaram à vantagem à passagem da meia hora de jogo, com Paulo Regula a converter uma grande penalidade, cometida sobre si próprio.

Na segunda parte, o Aves esteve melhor, acabando por virar o jogo com dois golos do avançado paraguaio Mauro Caballero (emprestado pelo FC Porto), igualando de grande penalidade (58') e colocando a sua equipa em vantagem com um excelente cabeceamento (77)'. A vitória da equipa forasteira parecia assegurada, mas ainda houve tempo para um período final emocionante, primeiro com o empate de Semedo, aos 89 minutos, e depois com o golo que confirmou, de vez, o triunfo avense.

Femi Balogun, que tinha sido o melhor elemento dos algarvios, cometeu uma falta infantil sobre Renato Reis na grande área e Pedro Pereira converteu a respetiva grande penalidade para o 2-3 final.

Jogo no Estádio José Arcanjo, em Olhão.
Olhanense - Aves, 2-3.
Ao intervalo: 1-0.
Marcadores:
 1-0, Paulo Regula, 30 minutos (grande penalidade).
 1-1, Mauro Caballero, 58' (grande penalidade).
 1-2, Mauro Caballero, 77'.
 2-2, Semedo, 89'. 2-3,
 Pedro Pereira, 90'+1 (grande penalidade).

Equipas:

Olhanense: Svedkauskas, Rodrigo António, Nuno Diogo, Diakhite, Duarte Machado, Semedo, Gonzalez Prado, Celestino (Buval, 66'), Paulo Regula (Diogo Melo, 46'), Femi Balogun e Mastriani (Weldon, 78').
Suplentes: Dida Pompeu, Giraldo, Weldon, Ubay Luzardo, Jorman Aguilar, Diogo Melo e Buval.
Treinador: Jorge Paixão.

Aves: Quim, Renato Reis, Junior Pius, Miguel Vieira, Jorge Ribeiro, Pedro Pereira, Luís Manuel, Grosso, Perdigão (Marco André, 89'), Diogo Pires (André Costa, 69') e Mauro Caballero (Platiny, 86').
Suplentes: Fábio, Júnior Pius, Andrew, Zé Valente, Marco André, André Costa e Platiny.
Treinador: Fernando Valente.

Árbitro: Rui Rodrigues (Lisboa).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Junior Pius (29'), Rodrigo António (33'), Renato Reis (45'+2), Nuno Diogo (80'), Perdigão (85') e Femi Balogun (90').
Assistência: Cerca de 1.000 espectadores.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

PENAFIEL - AVES, 1 - 0 ; TAÇA DE PORTUGAL 4ª ELIMINATÓRIA



O Penafiel garantiu este domingo a passagem aos oitavos de final da Taça de Portugal, ao derrotar o Desportivo das Aves por 1-0. 

A jogar em casa, o Penafiel entrou mais forte no jogo e começou logo a criar perigo. Aos 5 minutos, Rabiola desperdiçou uma oportunidade soberana para marcar. Completamente isolado frente a Quim, faz um remate fraquíssimo de encontro ao corpo do guarda-redes do D. Aves. Aos 16 minutos, Mbala fez a bola passar junto do poste. Mas logo a seguir, após um cruzamento de Mbala, João Martins recebeu na área e, frente a frente com o guardião, não perdoou e atirou para o fundo da baliza. 

Com o 1-0, o Penafiel começou a baixar as linhas. O Desportivo das Aves demorou alguns minutos, mas começou a encontrar os caminhos para a área adversária e apareceram então os lances de perigo, com Mauro Caballero, jogador emprestado pelo FC Porto, como o mentor da reação avense. O paraguaio esteve por duas vezes perto do golo na primeira parte. Primeiro atirou ligeiramente ao lado, depois, num remate fortíssimo, obrigou Coelho a mostrar os reflexos rápidos numa grande defesa

O intervalo chegou com o 1-0 no marcador, mas certamente que o treinador Rui Quinta não estava satisfeito com a forma como o adversário estava a conseguir chegar perto da baliza de Coelho e tratou de passar isso aos jogadores. O Penafiel entrou assim mais forte na segunda parte, a pressionar o adversário muito alto, criando não só perigo junto da baliza de Quim, como impedindo o Aves de ter bola e chegar à área penafidelense. 

Na segunda parte, as poucas vezes que o Aves conseguiu chegar perto da baliza de Coelho foram de bola parada, ou então de remates de muito longe. E a situação piorou quando Rúben foi expulso, deixando a equipa reduzida a dez por uma falta que, vista da bancada, não pareceu justificar o vermelho direto que o árbitro mostrou

O Aves, se já estava todo metido no meio campo até então, ainda mais se fechou, e foi conseguindo lidar com a pressão penafidelense feita, quase sempre, com cruzamentos dos corredores para a área. Os homens do Penafiel sofreram de uma manifesta falta de pontaria, mas o relógio ia jogando a favor, também por causa das várias interrupções causadas por um jogo muito faltoso. 

O marcador manteve-se inalterado, deixando o Aves pelo caminho na Taça de Portugal, e o Penafiel com o bilhete carimbado para seguir em frente.

Fernando Valente



«Temos que dar os parabéns ao Penafiel porque conseguiu passar a eliminatória. Sabíamos que ia ser um jogo equilibrado e que, se não acontecesse nada de extraordinário, podíamos criar mais dificuldades e discutir a eliminatória. Mas aconteceu, continuamos a dar tiros nos pés. O primeiro golo foi quase preparado por nós para o Penafiel finalizar». 

«Ainda conseguimos criar uma ou duas oportunidades na primeira parte. Na segunda não estava a ver grandes hipóteses, mas, quando estávamos a entrar no jogo, sofremos a expulsão. Parece-me que houve um excesso de rigor por parte do árbitro nesse lance». 

«A equipa mostrou carácter, lutou até ao fim, mas as armas não surtiram efeito». 

«Nós vamos continuar na nossa luta porque temos mais do que o que apresentamos hoje. Já percebemos que este ano precisamos de homens de barba rija. Tenho muita dificuldade em lidar com personalidades fracas, mas isso é uma coisa que tenho que lidar com a equipa e com o clube».

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

FARENSE - DESP. AVES, 2-2; SEGUNDA LIGA 14ª JORNADA

Pedro Pereira fez o empate no último minuto
O Farense e o Desportivo das Aves empataram este domingo (2-2), em encontro em atraso da 14.ª jornada 2.ª Liga, com os forasteiros a evitarem a derrota com um golo no último minuto.

Os avenses, que ainda não venceram fora esta época, saíram em vantagem para o intervalo, graças a um golo de Platiny (41 minutos), permitiram a reviravolta, selada por Yang Tan (51) e Hernâni (76), mas acabaram por salvar um ponto num livre perfeito de Pedro Pereira (90+6).

O jogo teve pouca emoção na primeira metade, com os forasteiros mais pacientes e tranquilos a gerir a posse de bola, enquanto o Farense se mostrava muito inoperante no ataque, apesar de desperdiçar a melhor ocasião, quando Yang Tan cabeceou ao poste esquerdo (27).

Mais eficaz, o Aves chegou à vantagem aos 41 minutos, com Platiny a atirar de cabeça, na sequência de um pontapé de canto, e até podia ter aumentado a vantagem, mas Ricardo brilhou ao suster um "tiro" de Jorge Ribeiro (44).

O técnico do Farense, Pedro Correia, fez duas substituições na entrada para a segunda parte e a sua equipa melhorou, chegando ao empate pouco depois, num golo de Yang Tan após bom trabalho individual na grande área.

No duelo dos bancos, o treinador da equipa algarvia jogou novo "trunfo" aos 74 minutos, ao lançar o médio Hernâni, que, dois minutos depois, assinou o 2-1. Os três pontos pareciam entregues ao Farense, mas a equipa algarvia, que somou o sexto jogo seguido sem vencer, não soube gerir a vantagem e sofreu a igualdade num livre superiormente executado por Pedro Pereira, no sexto minuto de descontos

Ao intervalo: 0-1.
Marcadores: 
0-1, Platiny, 41 minutos. 
1-1, Yang Tan, 51.
 2-1, Hernâni, 76. 
2-2, Pedro Pereira, 90+6.

Farense: Ricardo, Hugo Ventosa, Diogo Silva, Wei Huang, Hugo Luz, Yombo (Harramiz, 46), Carlos, Carlitos, Matthew (Neca, 46), Márcio Madeira (Hernâni, 74) e Yang Tan. 
Suplentes: Bento, Hernâni, Neca, Bilro, Edinho, Fábio Lopes e Harramiz. 
Treinador: Pedro Correia.

Desportivo das Aves: Quim, Marco André (Chula, 90+4), Miguel Vieira, Ginho, Jorge Ribeiro, Zé Valente (Perdigão, 72), Grosso (Andrew, 86), Tito, Pedro Pereira, Mauro Caballero e Platiny. 
Suplentes: Fábio, Ruben Neves, Andrew, Perdigão, Chula, Diogo Pires e Luís Manuel. 
Treinador: Fernando Valente. Árbitro: Rui Oliveira (Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Yombo (28), Wei Huang (34), Diogo Silva (43), Pedro Pereira (48) e Neca (63).
Assistência: Cerca de 800 espetadores.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

AVES - PORTIMONENSE, 0-0; SEGUNDA LIGA 15ª JORNADA

Desportivo das Aves e Portimonense empataram este domingo 0-0, em jogo da 15.ª jornada da 2.ª Liga, em que os algarvios não aproveitaram a vantagem numérica ao longo de praticamente todo o encontro.

A equipa da casa, tendo em conta os minutos de compensação da primeira e da segunda partes, jogou mais de 90 minutos com apenas 10 jogadores após a expulsão do central Júnior Pius logo aos quatro minutos de jogo, por falta sobre Fabrício, que podia ter-se isolado diante de Quim.

O Portimonense dispôs de algumas boas oportunidades para marcar, mas mostrou-se perdulário e pouco ambicioso, ao contrário do Aves, que fazendo uso de uma grande "alma", podia mesmo ter chegado ao triunfo na segunda parte, mas Pedro Pereira e Renato Reis falharam excelentes ocasiões.

Os algarvios tiveram mais posse de bola e podiam ter inaugurado o marcador aos 18 minutos, mas Fidelis cabeceou muito mal quando estava em excelente posição, sem qualquer marcação, após canto da direita.

Aos 40 minutos, terá ficado por marcar uma grande penalidade favorável aos visitantes, por falta de Ginho sobre Ricardo Pessoa e, no mesmo minuto, isolado por um passe com o peito de Fidelis, Fabrício fez a bola rasar a barra.

A equipa de Portimão entrou mais forte na segunda parte e, por duas vezes, ficou muito perto de marcar: Fidelis falhou de forma clamorosa o desvio após cruzamento da esquerda e Ginho cortou quase em cima da linha de golo o remate de Adelino (47).

Contudo, depois desta entrada forte, a equipa algarvia perdeu "gás", o Aves equilibrou a contenda e, aos 71 minutos, dispôs da sua melhor oportunidade para marcar em toda a partida: Renato Reis surgiu isolado e tentou picar a bola sobre o guarda-redes adversário, mas Ricardo Ferreira defendeu com as costas e, na recarga, quando bastava empurrar, Pedro Pereira não acertou na bola.

Nos últimos minutos, foram várias as oportunidades para ambas as equipas, com os guarda-redes a serem preponderantes para garantirem o nulo.

Jogo no Estádio do Clube Desportivo das Aves, na Vila das Aves.

Desportivo das Aves
Quim, Renato Reis, Júnior Pius, Ginho, Jorge Ribeiro, Grosso, Tito, Zé Valente (Miguel Vieira, 11), Pedro Pereira (Platiny, 78), Mauro Caballero e Andrew (Luís Manuel, 46). 
Suplentes: Fábio, Ruben Neves, Perdigão, Miguel Vieira, Chula, Luís Manuel, Platiny. 
Treinador: Fernando Valente.

Portimonense
Ricardo Ferreira, Ricardo Pessoa, João Paulo, Maurício, Mamadu, Ivo Nicolau (Zambujo, 62), Fernandinho (Jorge Teixeira, 85), Fabrício, Ewerton, Adelino (Ryuki, 68) e Fidelis. 
Suplentes: Carlos Henriques, Acácio, Ryuki, Zambujo, Jorge Teixeira, Fabrício Paraíba, Rodrigo Sousa. 
Treinador: Vítor Maçãs.

Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa).
Ação disciplinar: cartão amarelo para Fabrício (45+2), Ryuki (75), Renato Reis (88). Cartão vermelho para Junior Pius (04).
Assistência: cerca de 1.500 espetadores.

ARMANDO SILVA REELEITO PRESIDENTE

Armando Silva reeleito
Armando Silva, presidente do Desportivo das Aves desde a temporada 2010/2011, foi este sábado reeleito, com um total de 118 votos a favor, dois nulos e dois brancos.

Sem oposição, uma vez que a lista A, que encabeçou, foi a única que se apresentou a eleições, o dirigente máximo dos avenses reassume assim, de forma oficial, as rédeas do clube, depois de, durante os últimos quatro meses, ter controlado o clube através de um sistema de gestão corrente.

O anterior mandato de Armando Silva terminara a 30 de junho, mas só esta semana apresentou uma lista para a direção do clube por "não ter tido, até há pouco tempo, os apoios necessários".

Quanto ao primeiro objetivo a atingir, até já está bem definido: passa por alcançar uma solução para a SDUQ (sociedade desportiva unipessoal por quotas).

"Na terça-feira há uma reunião e espero que saia daí uma solução definitiva, seja através de membros da lista da direção que assumam a SDUQ, seja através de um gestor externo", explicou, em declarações à Agência Lusa.

O dirigente aproveitou o momento para reforçar a convicção de que os resultados da equipa vão melhorar em breve e para frisar que a posição de Fernando Valente como técnico principal da equipa não está em causa.

"Nunca me passou pela cabeça mudar de treinador nem é uma situação que esteja a equacionar. Temos tido alguma infelicidade em vários jogos e acredito que os resultados passarão a ser mais condizentes com aquilo que temos feito", defendeu.

O Desportivo das Aves segue neste momento na 18.ª posição da tabela, com quatro vitórias, três empates e seis derrotas, isto depois de no final da época passada ter disputado o "play-off" de acesso ao escalão principal, frente ao Paços de Ferreira.

Armando Silva justifica esta disparidade com a ansiedade criada por um "rótulo" que, garante, tem pouco fundamento. "Creio que também se explica com alguma ansiedade, provavelmente derivada do facto de termos sido rotulados como candidatos à subida", justificou, garantindo que nunca se considerou como um, até porque, ao contrário de "algumas equipas que se apetrecharam para isso", o Desportivo das Aves "não tem orçamento para o fazer".

domingo, 2 de novembro de 2014

AVES - VIT. GUIMARÃES B, 2-1; SEGUNDA LIGA 13ª JORNADA

Caballero apontou o penalty decisivo

Dois golos apontados nos instantes finais garantiram este domingo ao Desportivo das Aves um importante triunfo frente ao Vitória de Guimarães B, em encontro da 13.ª jornada da 2.ª Liga, disputado na Vila das Aves.

A formação de Armando Evangelista esteve em vantagem durante grande parte da etapa complementar, graças a um golo de Crivellaro ao minuto 50, mas Jorge Ribeiro, de livre direto (89), e Caballero, de penálti (90+2), operaram a reviravolta que permite aos avenses fugir da zona de despromoção.

Moralizados por três vitórias consecutivas, os vimaranenses, mais fortes durante todo o primeiro tempo, estiveram perto de se adiantarem no marcador numa fase inicial da partida, mas Jorge Ribeiro, aos 6 minutos, e Quim, aos 16, foram evitando o golo de Crivellaro.

Do outro lado, só Andrew (14) e Caballero (34) conseguiram ameaçar a baliza de Miguel Oliveira, mas, no primeiro caso, o guardião vitoriano resolveu e, no segundo, o avançado paraguaio atirou a rasar o poste.

Já em tempo de compensação, Crivellaro voltou a estar muito perto do golo, mas, em posição frontal, atirou por cima. A redenção do médio brasileiro chegaria já na etapa complementar, ao minuto 50, quando, de pé esquerdo, desferiu um remate fulminou Quim e desfez o nulo inicial.

Frente a um V. Guimarães que se acomodou à vantagem obtida, Fernando Valente respondeu com três substituições no espaço de dez minutos, que se traduziram numa maior acutilância ofensiva.

A reviravolta, essa estava reservada para os derradeiros minutos: aos 89, Jorge Ribeiro assinou o golo do empate ao converter de forma exemplar um livre direto e, já nos descontos, Caballero fez o mesmo numa grande penalidade, a castigar falta de Arrondel dentro de área.

Jogo no Estádio do Clube Desportivo das Aves.
Ao intervalo: 0-0.
Marcadores:
 0-1, Crivellaro, 50 minutos. 
1-1, Jorge Ribeiro, 89. 
2-1, Mauro Caballero, 90+2 (grande penalidade).

Aves: Quim, Renato Reis, Romaric, Ginho, Jorge Ribeiro, Grosso (Rúben Neves, 70), Tito, Zé Valente (Perdigão, 61), Andrew (Platiny, 65), Caballero e Pedro Pereira. 
Suplentes: Fábio, Rúben Neves, Perdigão, Miguel Vieira, André Costa, Luís Manuel e Platiny.
Treinador: Fernando Valente.

V. Guimarães B: Miguel Oliveira, Arrondel, Lima Pereira, Chemmam, Luís Rocha, João Pedro, Crivellaro (Nassim, 89), Tiago Castanheira, Barrientos, Areias e Gui (Isaac, 77).
Suplentes: Palha, Nassim, Isaac, João Vigário, Helinho, Marques e Knezevic.
Treinador: Armando Evangelista.

Árbitro: Luís Godinho (Évora).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Luís Rocha (09), Gui (55), Grosso (60), Telmo Castanheira (74), Arrondel (78), Miguel Oliveira (90+1), João Pedro (90+2).
Cartão vermelho direto para Arrondel (90+1). Armando Evangelista expulso do banco (90+3).
Assistência: Cerca de 600 espetadores.