terça-feira, 2 de dezembro de 2014

OLHANENSE - AVES, 2-3; SEGUNDA LIGA 16ª JORNADA

O Aves conquistou este sábado a primeira vitória fora na 2.ª Liga, ao bater o Olhanense, por 3-2, em jogo da 16.ª jornada da prova, marcado por uma ponta final emocionante.

Em jogo com três grandes penalidades, todas convertidas, os algarvios saíram para o intervalo em vantagem, com golo de Paulo Regula, mas a partida ganhou mais emoção na segunda parte, quando os avenses deram a volta, com dois tentos de Mauro Caballero, viram Semedo empatar aos 89 minutos e festejaram o triunfo nos descontos, graças a Pedro Pereira.

O equilíbrio imperou nos momentos iniciais do jogo, com as duas equipas adormecidas, depois de Gonzalez Prado ter desperdiçado uma flagrante oportunidade para os locais, a um metro da linha de golo, logo no primeiro minuto. Uma boa jogada coletiva, concluída com remate de Rodrigo António e boa defesa de Quim, aos 24 minutos, deu o mote para o domínio dos algarvios, que chegaram à vantagem à passagem da meia hora de jogo, com Paulo Regula a converter uma grande penalidade, cometida sobre si próprio.

Na segunda parte, o Aves esteve melhor, acabando por virar o jogo com dois golos do avançado paraguaio Mauro Caballero (emprestado pelo FC Porto), igualando de grande penalidade (58') e colocando a sua equipa em vantagem com um excelente cabeceamento (77)'. A vitória da equipa forasteira parecia assegurada, mas ainda houve tempo para um período final emocionante, primeiro com o empate de Semedo, aos 89 minutos, e depois com o golo que confirmou, de vez, o triunfo avense.

Femi Balogun, que tinha sido o melhor elemento dos algarvios, cometeu uma falta infantil sobre Renato Reis na grande área e Pedro Pereira converteu a respetiva grande penalidade para o 2-3 final.

Jogo no Estádio José Arcanjo, em Olhão.
Olhanense - Aves, 2-3.
Ao intervalo: 1-0.
Marcadores:
 1-0, Paulo Regula, 30 minutos (grande penalidade).
 1-1, Mauro Caballero, 58' (grande penalidade).
 1-2, Mauro Caballero, 77'.
 2-2, Semedo, 89'. 2-3,
 Pedro Pereira, 90'+1 (grande penalidade).

Equipas:

Olhanense: Svedkauskas, Rodrigo António, Nuno Diogo, Diakhite, Duarte Machado, Semedo, Gonzalez Prado, Celestino (Buval, 66'), Paulo Regula (Diogo Melo, 46'), Femi Balogun e Mastriani (Weldon, 78').
Suplentes: Dida Pompeu, Giraldo, Weldon, Ubay Luzardo, Jorman Aguilar, Diogo Melo e Buval.
Treinador: Jorge Paixão.

Aves: Quim, Renato Reis, Junior Pius, Miguel Vieira, Jorge Ribeiro, Pedro Pereira, Luís Manuel, Grosso, Perdigão (Marco André, 89'), Diogo Pires (André Costa, 69') e Mauro Caballero (Platiny, 86').
Suplentes: Fábio, Júnior Pius, Andrew, Zé Valente, Marco André, André Costa e Platiny.
Treinador: Fernando Valente.

Árbitro: Rui Rodrigues (Lisboa).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Junior Pius (29'), Rodrigo António (33'), Renato Reis (45'+2), Nuno Diogo (80'), Perdigão (85') e Femi Balogun (90').
Assistência: Cerca de 1.000 espectadores.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

PENAFIEL - AVES, 1 - 0 ; TAÇA DE PORTUGAL 4ª ELIMINATÓRIA



O Penafiel garantiu este domingo a passagem aos oitavos de final da Taça de Portugal, ao derrotar o Desportivo das Aves por 1-0. 

A jogar em casa, o Penafiel entrou mais forte no jogo e começou logo a criar perigo. Aos 5 minutos, Rabiola desperdiçou uma oportunidade soberana para marcar. Completamente isolado frente a Quim, faz um remate fraquíssimo de encontro ao corpo do guarda-redes do D. Aves. Aos 16 minutos, Mbala fez a bola passar junto do poste. Mas logo a seguir, após um cruzamento de Mbala, João Martins recebeu na área e, frente a frente com o guardião, não perdoou e atirou para o fundo da baliza. 

Com o 1-0, o Penafiel começou a baixar as linhas. O Desportivo das Aves demorou alguns minutos, mas começou a encontrar os caminhos para a área adversária e apareceram então os lances de perigo, com Mauro Caballero, jogador emprestado pelo FC Porto, como o mentor da reação avense. O paraguaio esteve por duas vezes perto do golo na primeira parte. Primeiro atirou ligeiramente ao lado, depois, num remate fortíssimo, obrigou Coelho a mostrar os reflexos rápidos numa grande defesa

O intervalo chegou com o 1-0 no marcador, mas certamente que o treinador Rui Quinta não estava satisfeito com a forma como o adversário estava a conseguir chegar perto da baliza de Coelho e tratou de passar isso aos jogadores. O Penafiel entrou assim mais forte na segunda parte, a pressionar o adversário muito alto, criando não só perigo junto da baliza de Quim, como impedindo o Aves de ter bola e chegar à área penafidelense. 

Na segunda parte, as poucas vezes que o Aves conseguiu chegar perto da baliza de Coelho foram de bola parada, ou então de remates de muito longe. E a situação piorou quando Rúben foi expulso, deixando a equipa reduzida a dez por uma falta que, vista da bancada, não pareceu justificar o vermelho direto que o árbitro mostrou

O Aves, se já estava todo metido no meio campo até então, ainda mais se fechou, e foi conseguindo lidar com a pressão penafidelense feita, quase sempre, com cruzamentos dos corredores para a área. Os homens do Penafiel sofreram de uma manifesta falta de pontaria, mas o relógio ia jogando a favor, também por causa das várias interrupções causadas por um jogo muito faltoso. 

O marcador manteve-se inalterado, deixando o Aves pelo caminho na Taça de Portugal, e o Penafiel com o bilhete carimbado para seguir em frente.

Fernando Valente



«Temos que dar os parabéns ao Penafiel porque conseguiu passar a eliminatória. Sabíamos que ia ser um jogo equilibrado e que, se não acontecesse nada de extraordinário, podíamos criar mais dificuldades e discutir a eliminatória. Mas aconteceu, continuamos a dar tiros nos pés. O primeiro golo foi quase preparado por nós para o Penafiel finalizar». 

«Ainda conseguimos criar uma ou duas oportunidades na primeira parte. Na segunda não estava a ver grandes hipóteses, mas, quando estávamos a entrar no jogo, sofremos a expulsão. Parece-me que houve um excesso de rigor por parte do árbitro nesse lance». 

«A equipa mostrou carácter, lutou até ao fim, mas as armas não surtiram efeito». 

«Nós vamos continuar na nossa luta porque temos mais do que o que apresentamos hoje. Já percebemos que este ano precisamos de homens de barba rija. Tenho muita dificuldade em lidar com personalidades fracas, mas isso é uma coisa que tenho que lidar com a equipa e com o clube».

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

FARENSE - DESP. AVES, 2-2; SEGUNDA LIGA 14ª JORNADA

Pedro Pereira fez o empate no último minuto
O Farense e o Desportivo das Aves empataram este domingo (2-2), em encontro em atraso da 14.ª jornada 2.ª Liga, com os forasteiros a evitarem a derrota com um golo no último minuto.

Os avenses, que ainda não venceram fora esta época, saíram em vantagem para o intervalo, graças a um golo de Platiny (41 minutos), permitiram a reviravolta, selada por Yang Tan (51) e Hernâni (76), mas acabaram por salvar um ponto num livre perfeito de Pedro Pereira (90+6).

O jogo teve pouca emoção na primeira metade, com os forasteiros mais pacientes e tranquilos a gerir a posse de bola, enquanto o Farense se mostrava muito inoperante no ataque, apesar de desperdiçar a melhor ocasião, quando Yang Tan cabeceou ao poste esquerdo (27).

Mais eficaz, o Aves chegou à vantagem aos 41 minutos, com Platiny a atirar de cabeça, na sequência de um pontapé de canto, e até podia ter aumentado a vantagem, mas Ricardo brilhou ao suster um "tiro" de Jorge Ribeiro (44).

O técnico do Farense, Pedro Correia, fez duas substituições na entrada para a segunda parte e a sua equipa melhorou, chegando ao empate pouco depois, num golo de Yang Tan após bom trabalho individual na grande área.

No duelo dos bancos, o treinador da equipa algarvia jogou novo "trunfo" aos 74 minutos, ao lançar o médio Hernâni, que, dois minutos depois, assinou o 2-1. Os três pontos pareciam entregues ao Farense, mas a equipa algarvia, que somou o sexto jogo seguido sem vencer, não soube gerir a vantagem e sofreu a igualdade num livre superiormente executado por Pedro Pereira, no sexto minuto de descontos

Ao intervalo: 0-1.
Marcadores: 
0-1, Platiny, 41 minutos. 
1-1, Yang Tan, 51.
 2-1, Hernâni, 76. 
2-2, Pedro Pereira, 90+6.

Farense: Ricardo, Hugo Ventosa, Diogo Silva, Wei Huang, Hugo Luz, Yombo (Harramiz, 46), Carlos, Carlitos, Matthew (Neca, 46), Márcio Madeira (Hernâni, 74) e Yang Tan. 
Suplentes: Bento, Hernâni, Neca, Bilro, Edinho, Fábio Lopes e Harramiz. 
Treinador: Pedro Correia.

Desportivo das Aves: Quim, Marco André (Chula, 90+4), Miguel Vieira, Ginho, Jorge Ribeiro, Zé Valente (Perdigão, 72), Grosso (Andrew, 86), Tito, Pedro Pereira, Mauro Caballero e Platiny. 
Suplentes: Fábio, Ruben Neves, Andrew, Perdigão, Chula, Diogo Pires e Luís Manuel. 
Treinador: Fernando Valente. Árbitro: Rui Oliveira (Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Yombo (28), Wei Huang (34), Diogo Silva (43), Pedro Pereira (48) e Neca (63).
Assistência: Cerca de 800 espetadores.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

AVES - PORTIMONENSE, 0-0; SEGUNDA LIGA 15ª JORNADA

Desportivo das Aves e Portimonense empataram este domingo 0-0, em jogo da 15.ª jornada da 2.ª Liga, em que os algarvios não aproveitaram a vantagem numérica ao longo de praticamente todo o encontro.

A equipa da casa, tendo em conta os minutos de compensação da primeira e da segunda partes, jogou mais de 90 minutos com apenas 10 jogadores após a expulsão do central Júnior Pius logo aos quatro minutos de jogo, por falta sobre Fabrício, que podia ter-se isolado diante de Quim.

O Portimonense dispôs de algumas boas oportunidades para marcar, mas mostrou-se perdulário e pouco ambicioso, ao contrário do Aves, que fazendo uso de uma grande "alma", podia mesmo ter chegado ao triunfo na segunda parte, mas Pedro Pereira e Renato Reis falharam excelentes ocasiões.

Os algarvios tiveram mais posse de bola e podiam ter inaugurado o marcador aos 18 minutos, mas Fidelis cabeceou muito mal quando estava em excelente posição, sem qualquer marcação, após canto da direita.

Aos 40 minutos, terá ficado por marcar uma grande penalidade favorável aos visitantes, por falta de Ginho sobre Ricardo Pessoa e, no mesmo minuto, isolado por um passe com o peito de Fidelis, Fabrício fez a bola rasar a barra.

A equipa de Portimão entrou mais forte na segunda parte e, por duas vezes, ficou muito perto de marcar: Fidelis falhou de forma clamorosa o desvio após cruzamento da esquerda e Ginho cortou quase em cima da linha de golo o remate de Adelino (47).

Contudo, depois desta entrada forte, a equipa algarvia perdeu "gás", o Aves equilibrou a contenda e, aos 71 minutos, dispôs da sua melhor oportunidade para marcar em toda a partida: Renato Reis surgiu isolado e tentou picar a bola sobre o guarda-redes adversário, mas Ricardo Ferreira defendeu com as costas e, na recarga, quando bastava empurrar, Pedro Pereira não acertou na bola.

Nos últimos minutos, foram várias as oportunidades para ambas as equipas, com os guarda-redes a serem preponderantes para garantirem o nulo.

Jogo no Estádio do Clube Desportivo das Aves, na Vila das Aves.

Desportivo das Aves
Quim, Renato Reis, Júnior Pius, Ginho, Jorge Ribeiro, Grosso, Tito, Zé Valente (Miguel Vieira, 11), Pedro Pereira (Platiny, 78), Mauro Caballero e Andrew (Luís Manuel, 46). 
Suplentes: Fábio, Ruben Neves, Perdigão, Miguel Vieira, Chula, Luís Manuel, Platiny. 
Treinador: Fernando Valente.

Portimonense
Ricardo Ferreira, Ricardo Pessoa, João Paulo, Maurício, Mamadu, Ivo Nicolau (Zambujo, 62), Fernandinho (Jorge Teixeira, 85), Fabrício, Ewerton, Adelino (Ryuki, 68) e Fidelis. 
Suplentes: Carlos Henriques, Acácio, Ryuki, Zambujo, Jorge Teixeira, Fabrício Paraíba, Rodrigo Sousa. 
Treinador: Vítor Maçãs.

Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa).
Ação disciplinar: cartão amarelo para Fabrício (45+2), Ryuki (75), Renato Reis (88). Cartão vermelho para Junior Pius (04).
Assistência: cerca de 1.500 espetadores.

ARMANDO SILVA REELEITO PRESIDENTE

Armando Silva reeleito
Armando Silva, presidente do Desportivo das Aves desde a temporada 2010/2011, foi este sábado reeleito, com um total de 118 votos a favor, dois nulos e dois brancos.

Sem oposição, uma vez que a lista A, que encabeçou, foi a única que se apresentou a eleições, o dirigente máximo dos avenses reassume assim, de forma oficial, as rédeas do clube, depois de, durante os últimos quatro meses, ter controlado o clube através de um sistema de gestão corrente.

O anterior mandato de Armando Silva terminara a 30 de junho, mas só esta semana apresentou uma lista para a direção do clube por "não ter tido, até há pouco tempo, os apoios necessários".

Quanto ao primeiro objetivo a atingir, até já está bem definido: passa por alcançar uma solução para a SDUQ (sociedade desportiva unipessoal por quotas).

"Na terça-feira há uma reunião e espero que saia daí uma solução definitiva, seja através de membros da lista da direção que assumam a SDUQ, seja através de um gestor externo", explicou, em declarações à Agência Lusa.

O dirigente aproveitou o momento para reforçar a convicção de que os resultados da equipa vão melhorar em breve e para frisar que a posição de Fernando Valente como técnico principal da equipa não está em causa.

"Nunca me passou pela cabeça mudar de treinador nem é uma situação que esteja a equacionar. Temos tido alguma infelicidade em vários jogos e acredito que os resultados passarão a ser mais condizentes com aquilo que temos feito", defendeu.

O Desportivo das Aves segue neste momento na 18.ª posição da tabela, com quatro vitórias, três empates e seis derrotas, isto depois de no final da época passada ter disputado o "play-off" de acesso ao escalão principal, frente ao Paços de Ferreira.

Armando Silva justifica esta disparidade com a ansiedade criada por um "rótulo" que, garante, tem pouco fundamento. "Creio que também se explica com alguma ansiedade, provavelmente derivada do facto de termos sido rotulados como candidatos à subida", justificou, garantindo que nunca se considerou como um, até porque, ao contrário de "algumas equipas que se apetrecharam para isso", o Desportivo das Aves "não tem orçamento para o fazer".

domingo, 2 de novembro de 2014

AVES - VIT. GUIMARÃES B, 2-1; SEGUNDA LIGA 13ª JORNADA

Caballero apontou o penalty decisivo

Dois golos apontados nos instantes finais garantiram este domingo ao Desportivo das Aves um importante triunfo frente ao Vitória de Guimarães B, em encontro da 13.ª jornada da 2.ª Liga, disputado na Vila das Aves.

A formação de Armando Evangelista esteve em vantagem durante grande parte da etapa complementar, graças a um golo de Crivellaro ao minuto 50, mas Jorge Ribeiro, de livre direto (89), e Caballero, de penálti (90+2), operaram a reviravolta que permite aos avenses fugir da zona de despromoção.

Moralizados por três vitórias consecutivas, os vimaranenses, mais fortes durante todo o primeiro tempo, estiveram perto de se adiantarem no marcador numa fase inicial da partida, mas Jorge Ribeiro, aos 6 minutos, e Quim, aos 16, foram evitando o golo de Crivellaro.

Do outro lado, só Andrew (14) e Caballero (34) conseguiram ameaçar a baliza de Miguel Oliveira, mas, no primeiro caso, o guardião vitoriano resolveu e, no segundo, o avançado paraguaio atirou a rasar o poste.

Já em tempo de compensação, Crivellaro voltou a estar muito perto do golo, mas, em posição frontal, atirou por cima. A redenção do médio brasileiro chegaria já na etapa complementar, ao minuto 50, quando, de pé esquerdo, desferiu um remate fulminou Quim e desfez o nulo inicial.

Frente a um V. Guimarães que se acomodou à vantagem obtida, Fernando Valente respondeu com três substituições no espaço de dez minutos, que se traduziram numa maior acutilância ofensiva.

A reviravolta, essa estava reservada para os derradeiros minutos: aos 89, Jorge Ribeiro assinou o golo do empate ao converter de forma exemplar um livre direto e, já nos descontos, Caballero fez o mesmo numa grande penalidade, a castigar falta de Arrondel dentro de área.

Jogo no Estádio do Clube Desportivo das Aves.
Ao intervalo: 0-0.
Marcadores:
 0-1, Crivellaro, 50 minutos. 
1-1, Jorge Ribeiro, 89. 
2-1, Mauro Caballero, 90+2 (grande penalidade).

Aves: Quim, Renato Reis, Romaric, Ginho, Jorge Ribeiro, Grosso (Rúben Neves, 70), Tito, Zé Valente (Perdigão, 61), Andrew (Platiny, 65), Caballero e Pedro Pereira. 
Suplentes: Fábio, Rúben Neves, Perdigão, Miguel Vieira, André Costa, Luís Manuel e Platiny.
Treinador: Fernando Valente.

V. Guimarães B: Miguel Oliveira, Arrondel, Lima Pereira, Chemmam, Luís Rocha, João Pedro, Crivellaro (Nassim, 89), Tiago Castanheira, Barrientos, Areias e Gui (Isaac, 77).
Suplentes: Palha, Nassim, Isaac, João Vigário, Helinho, Marques e Knezevic.
Treinador: Armando Evangelista.

Árbitro: Luís Godinho (Évora).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Luís Rocha (09), Gui (55), Grosso (60), Telmo Castanheira (74), Arrondel (78), Miguel Oliveira (90+1), João Pedro (90+2).
Cartão vermelho direto para Arrondel (90+1). Armando Evangelista expulso do banco (90+3).
Assistência: Cerca de 600 espetadores.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

BEIRA-MAR - AVES, 1-0; SEGUNDA LIGA 12ª JORNADA



O Beira-Mar venceu este domingo o Desportivo das Aves por 1-0, num polémico encontro da 12.ª jornada da 2.ª Liga, marcado por muitos protestos e agitação nas bancadas.

No Estádio Municipal de Aveiro, a formação de Jorge Neves conseguiu uma vitória justa, graças com uma grande penalidade marcada por Billal, aos 22 minutos, e terminou reduzida a 10 elementos, por expulsão de Nadson, aos 59.

Já o Desportivo das Aves, mesmo em superioridade numérica, nunca conseguiu mostrar argumentos para levar os três pontos de Aveiro, somando a segunda derrota consecutiva na prova.

A partida começou com um protesto da claque do Beira-Mar, que não apoiou a equipa e ostentou uma tarja onde podia ler-se "Omar tem vergonha e sai", referindo-se a Omar Scafuro, presidente da SAD. Em causa estão as notícias recentes que envolvem a SAD do clube "aurinegro", com pagamentos em atraso e ações judiciais, e que colocam o futebol profissional do Beira-Mar num cenário de incerteza.

Dentro de campo, a polémica começou aos 21 minutos, com o árbitro Bruno Paixão a considerar falta na área de Romaric sobre Edema, assinalando a respetiva grande penalidade, que Billal não desperdiçou. Após esta decisão do árbitro, registaram-se protestos nas bancadas, junto aos adeptos visitantes, situação que motivou a intervenção dos agentes da Polícia de Segurança Pública no local.

No segundo tempo, ao minuto 59, o árbitro voltou a estar envolvido em polémica, ao mostrar o segundo cartão amarelo a Nadson, num lance dividido com Jorge Ribeiro. Na sequência do lance, Kal Baiano, o diretor para o futebol da equipa aveirense, foi também expulso por protestos e teve de abandonar o banco do Beira-Mar.

Até final, a partida foi dividida, mas os aveirenses, mesmo a jogar com 10, conseguiram segurar a vitória e somaram três pontos, passando a contar 18, agora mais seis do que o seu adversário de hoje.

Jogo no Estádio Municipal de Aveiro.
Ao intervalo: 1-0.
Marcador: 
1-0, Billal, 22 minutos (grande penalidade).

Beira-Mar: Márcio, Pedro Moreira, Alan Henrique, Diego, Vítor Vinha, Fábio Santos, Assis, Edu (Índio, 67), Billal (Baldé, 85), Edema (Anderson, 67) e Nadson. 
Suplentes: Rui Rego, Baldé, Peter Gregory, André Sousa, Anderson, Índio e Edivândio.
Treinador: Jorge Neves.

Desportivo das Aves: Quim, Renato Reis (André Costa, 83), Romaric, Miguel Vieira, Jorge Ribeiro, Perdigão (Platiny, 65), Tito, Luís Manuel (Zé Valente, 76), Rúben Neves, Pedro Pereira e Mauro Caballero. 
Suplentes: Fábio, Junior Pius, Grosso, Andrew, Zé Valente, André Costa e Platiny. 
Treinador: Fernando Valente.

Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Nadson (16 e 59), Jorge Ribeiro (59), Miguel Vieira (66) e Vítor Vinha (74).
Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Nadson (59).
Assistência: 532 espetadores.

domingo, 26 de outubro de 2014

AVES - F.C. PORTO B, 0-3; SEGUNDA LIGA 11ª JORNADA

O FC Porto B impôs esta quarta-feira a quinta derrota do campeonato ao Aves, por 3-0, em encontro da 11.ª jornada da 2.ª Liga, disputado na Vila das Aves.

Os portistas começaram a construir o triunfo ainda antes da meia hora, graças a uma grande penalidade convertida por Ivo, tendo dilatado a vantagem três minutos depois, por Frederic. Na etapa complementar, seria o central Lichnovski a fechar as contas.

Com o atual treinador da equipa principal do FC Porto Julen Lopetegui e o ex-técnico Paulo Fonseca na bancada do Estádio do Clube Desportivo das Aves, começou melhor a equipa da casa com Platiny, num cabeceamento perigoso, a obrigar Kadu a esticar-se para segurar a bola. Os "dragões" responderam com uma combinação entre Frederic e David Bruno, que terminou com um remate perigoso do primeiro (15') e acabariam por chegar a vantagem aos 25 minutos, na conversão de uma grande penalidade - André Moreira entendeu que Romaric empurrou Ivo Rodrigues dentro de área e o mesmo jogador encarregou-se da conversão.

Os avenses acusaram o golo sofrido e voltariam a sofrer um golo três minutos depois, com Frederic a concluir, ao segundo poste, uma jogada desenvolvida pelo lado esquerdo do ataque portista. Na etapa complementar, a formação de Fernando Valente entrou mais aguerrida, disposta a reverter a desvantagem, mas voltou a provar do mesmo veneno.

Aos 55', Romaric ainda evitou o golo de Tiago Rodrigues em cima da linha, mas a equipa "azul e branca" acabaria mesmo por chegar ao 3-0 (64'), por Lichnovski, na sequência de um pontapé de canto, numa altura em que os "dragões" já jogavam com 10 elementos, por expulsão de Ronieli. Até ao final, Ruben Neves ainda andou perto de reduzir a desvantagem (74'), mas por duas vezes - na mesma jogada - Kadu travou as intenções do médio avense.

Jogo no Estádio do Clube Desportivo das Aves, na Vila das Aves.
Aves - FC Porto B, 0-3.
Ao intervalo: 0-2.
Marcadores: 0-1, Ivo, 26 minutos (grande penalidade). 0-2, Frederic, 28 minutos. 0-3, Lichnovski, 64 minutos.

Equipas

Aves: Quim, Renato Reis, Romaric, Miguel Vieira, Jorge Ribeiro, Luís Manuel (Ruben Neves, 65'), Tito, Pedro Pereira, Caballero, Platiny (Andrew, 72') e Perdigão (Zé Valente, 71').
Suplentes: Fábio, Junior Pius, Ruben Neves, Andrew, Zé Valente, André Dias e Diogo Pires.
Treinador: Fernando Valente.

FC Porto B: Kadu, David Bruno, Lichnovski, Zé António, Rafa, Francisco Ramos (Graça, 90'+2), Tomás, Tiago Rodrigues (Leandro, 63'), Frederic (Pité, 85'), Ivo e Ronieli.
Suplentes: André Caio, Graça, Leander Siemann, Pitê, Leandro e Diego Carlos.
Treinador: Luís Castro.

Árbitro: André Moreira (Leiria).
Ação disciplinar:
Cartão amarelo para Ronieli (4' e 57'), Lichnovski (44'), Quim (50'), Tiago Rodrigues (60'). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Ronieli (57')
Assistência: Cerca de 900 espectadores.

AVES - BOAVISTA, 4-1; TAÇA DE PORTUGAL 3ª ELIMINATÓRIA

Platiny bisou na partida

O Boavista é o segundo clube do principal escalão do futebol português a ser eliminado da Taça de Portugal, depois de ter sido derrotado pelo Desportivo das Aves por 4x1.

Na Vila das Aves, a formação axadrezada até começou bem, chegado à vantagem logo aos quatro minutos por intermédio de um golo de Idris, mas o conjunto da Liga 2 soube reagir e conseguiu a reviravolta, acabando por vencer por um resultado desnivelado.

Platiny, à passagem da meia hora e já nos últimos instantes antes do intervalo, bisou e confirmou a reviravolta no marcador ainda na primeira parte, tendo os avenses ampliado a vantagem na etapa complementar com golos de Pedro Pereira e Tito, aos 56 e 61 minutos, respetivamente.

Com o resultado de 4x1, o Desportivo das Aves confirmou a presença na quarta eliminatória da Taça de Portugal, enquanto o Boavista está arredada da competição, tornando-se na segunda equipa do principal escalão a ser eliminada, depois do Estoril ter sido derrotado pelo Varzim.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

AVES - ORIENTAL, 1-0; SEGUNDA LIGA 9ª JORNADA

Romaric foi o herói do jogo

Depois de um primeiro tempo com poucos motivos de interesse, a equipa da casa entrou na etapa complementar com vontade de garantir os três pontos e consegui-lo-ia já fora de horas, graças a um cabeceamento do central costa-marfinense, que pôs um ponto final num ciclo de seis jogos sem triunfar no campeonato.

Num encontro entre os dois piores ataques da prova, foi preciso esperar até ao minuto 29 para ver um dos guarda-redes intervir -- o avense Quim opôs-se bem a um remate cruzado de Saleiro. Pouco depois (32'), foi a vez de Mota, guardião do Oriental, responder com uma grande defesa a um remate perigoso de Mauro Caballero, à entrada da área.

Os da casa ainda reclamaram uma grande penalidade (43'), por empurrão a Caballero, mas o árbitro Ricardo Lourenço considerou que houve simulação do avançado paraguaio. O reatamento trouxe um Aves a arriscar mais, mas Caballero, sempre o mais perigoso, não conseguiu converter as várias oportunidades de que dispôs: aos 51, atirou a rasar o ferro, aos 57', o cabeceamento falhou a baliza por pouco, e, aos 68', acertou em cheio no poste direito da baliza de Mota. Do outro lado, Quim teve de se aplicar para travar os remates de Roncatto (59') e Leonel (63').

Aos 85, o golo avense quase surgiu através de um lance infeliz de Daniel Almeida, que fez a bola bater na barra da sua própria baliza, mas seria Romaric o herói da tarde, quando, aos 90'+2, na sequência de um lançamento de linha lateral, aproveitou uma confusão na área para cabecear para o fundo das redes.

Jogo no Estádio do Clube Desportivo das Aves, na Vila das Aves.
Aves - Oriental, 1-0.
Ao intervalo: 0-0.
Marcadores: 1-0, Romaric, 90'+2 minutos.

Equipas:

Aves: Quim, André Costa (Perdigão, 75'), Romaric, Miguel Vieira, André Dias, Luís Manuel, Grosso (Ruben Neves, 78'), Zé Valente (Platiny, 58'), Caballero, Pedro Pereira e Renato Reis.
Suplentes: Fábio, Ginho, Ruben Neves, Andrew, Perdigão, Diogo Pires e Platiny.
Treinador: Fernando Valente.

Oriental: Mota, Hugo Grilo, Yago (Seidi, 43'), Daniel Almeida, João Pedro, Valdo, Tiago Mota, Tom, Leonel, Saleiro (Mauro, 76') e Roncatto (Henrique, 80').
Suplentes: Janota, Seidi, Pedro Alves, Córdoba, Henrique, Mauro e Miguel Paixão.
Treinador: João Barbosa.

Árbitro: Ricardo Lourenço.
Ação disciplinar: Cartão amarelo para André Costa (13'), Grosso (29'), Mauro Caballero (43'), Tom (82'), João Pedro (83')
Assistência: Cerca de 400 espectadores.

domingo, 5 de outubro de 2014

SANTA CLARA - AVES, 0-0 ; SEGUNDA LIGA - 10.ª JORNADA

Santa Clara e Aves empataram este domingo 0-0, em Ponta Delgada, num jogo, da 10.ª jornada da 2.ª Liga, que acabou com a equipa da Vila das Aves reduzida a dez jogadores. Depois de uma primeira parte fraca e sem nenhum remate à baliza, as equipas regressaram ao segundo tempo com mais velocidade, mas com problemas na finalização, com passes a perderem-se sistematicamente nos pés dos defesas.

O jogo ganhou um pouco mais de ritmo na segunda parte e aos 52 minutos, Geraldo desperdiçou uma das poucas oportunidades de adiantar o Santa Clara no marcador. Mesmo em frente à baliza, cabeceou fraco e a bola foi parar para as mãos de Quim. Cerca de cinco minutos depois, surgiu a resposta do Desportivo das Aves através de um remate perigoso de Mauro Caballero, que foi travado por Serginho mesmo em cima da linha de golo.

A partir dos 79 minutos, o Desportivo das Aves ficou reduzido a dez jogadores por expulsão de Junior Pius, que fez falta sobre Clemente. A formação açoriana não soube tirar partido da vantagem numérica, tendo permanecido o nulo até ao final da partida.

Jogo no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.
Santa Clara - Aves, 0-0.

Equipas:

Santa Clara: Serginho, Luís Dias, Amoreirinha, Accioly, Paulo Henrique, Malafaia, Pacheco (Vitinha, 85'), Ruizinho (Patas,61'), Geraldo (JP,71'), Ely e Clemente .
Suplentes: Pedro Freitas, Patas, Guilherme, Nuno Silva, JP, Materazzi e Vitinha.
Treinador: Claúdio Braga.

Aves: Quim, André Costa, Junior Pius, Romaric, André Dias, Tito, Luís Manuel, Pedro Pereira (Diogo Pires, 80'), Renato Reis, Mauro Caballero (Miguel Vieira, 88') e Grosso (Zé Valente,71').
Suplentes: Fábio, Perdigão, Zé Valente, Miguel Vieira, Jorge chula, Diogo Pires e Platiny.
Treinador: Fernando Valente.

Árbitro: Vasco Santos (Porto).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Tito (28'), Malafaia (33'), Luís Dias (71'),JP (73'), André Dias (75') e Junior Pius (76' e 79'). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, para Junior Pius (79').
Assistência: 574 espectadores.

domingo, 28 de setembro de 2014

AVES SEGUE EM FRENTE NA TAÇA DE PORTUGAL

ALJUSTRELENSE 0 - 3C.D.AVES

Grosso, 8'
Caballero, 18'
Renato, 22'

por Manuel Resendes c/Lusa via Futebol365:

O Desportivo das Aves, da Segunda Liga, venceu hoje fora o Aljustrelense, da série H do Campeonato Nacional de Seniores, por 3-0, garantindo a passagem à terceira eliminatória da Taça de Portugal.
 
Grosso (oito minutos), Mauro Caballero (18) e Renato (22) marcaram a diferença existente entre os dois conujuntos e sentenciaram desde logo a eliminatória.
Nos primeiros minutos do jogo, o Aljustrelense ainda resistiu um pouco à pressão do Desportivo das Aves, mas, devido a uma falta de atenção da defesa, não conseguiu evitar que o visitante inaugurasse o marcador logo aos oito minutos, por intermédio de Grosso.

Com domínio do jogo e conseguindo manter a bola afastada da sua baliza, o Desportivo das Aves, devido a mais uma falta de atenção da defesa do Aljustrelense, marcou o segundo golo, aos 18 minutos, através de cabeceamento de Mauro Caballero.

Aos 22 minutos, o ímpeto ofensivo do Desportivo das Aves e uma nova falta de atenção da defesa do Aljustrelense, permitiu o terceiro golo da equipa visitante, por intermédio de um remate forte e certeiro de Renato.

Com a eliminatória resolvida, o Aljustrelense ainda tentou em diversas ocasiões marcar o tento de honra, mas a equipa da II Liga não o permitiu.

domingo, 21 de setembro de 2014

DERROTA NA SERRA

SP. COVILHÃ1 - 0C.D.AVES
Kizito 85'


por Manuel Resendes c/Lusa via Futebol365:

O Sporting da Covilhã regressou hoje às vitórias na Segunda Liga, cinco jornadas depois, ao vencer o Desportivo das Aves por 1-0, em encontro da oitava ronda.
 
Kizito foi o autor do golo da vitória, aos 85 minutos, num jogo em que os visitantes acertaram duas vezes no poste, contra uma dos serranos.

A primeira metade foi toda ela jogada com pouca intensidade e sem nenhuma das formações a assumir o jogo. De parte a parte, registaram-se jogadas de algum perigo, mas sem pontaria na finalização.

Foi o Aves a criar a primeira grande ocasião de golo, quando, aos 27 minutos, Mauro Caballero acertou no poste, em resposta a um cruzamento da esquerda.

A resposta chegou por Traquina, que, aos 34 minutos, rematou forte de longe e obrigou Quim a voar e a desviar para canto. Quatro minutos depois o guardião minhoto voltou a impedir que os serranos inaugurassem o marcador, ao negar o golo a Erivelto.

No regresso dos balneários, o Aves surgiu mais agressivo e determinado, com André Costa a aproveitar o espaço concedido no corredor direito para cruzar, com a bola a bater nas costas de Edgar e a voltar a acertar no poste serrano, ao minuto 46.

Depois de cinco minutos iniciais de grande pressão, o Covilhã reagiu, através do remate de Erivelto, defendido com uma palmada por cima da barra.

Os “leões da serra” foram ganhando ascendente e quando estavam jogados 55 minutos a bola atirada por Tiago Moreira bateu no poste da baliza defendida por Quim.

Já a jogar em inferioridade numérica, após a expulsão de Edgar, o Covilhã marcou o golo da vitória, aos 85 minutos, na sequência de uma perda de bola de Romaric, que Kizito, com frieza, soube aproveitar.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

JOGO SEM GOLOS FRENTE À OLIVEIRENSE

C.D.AVES0 - 0OLIVEIRENSE

por Manuel Resendes c/Lusa via Futebol365:

Desportivo das Aves e Oliveirense empataram hoje 0-0, na sétima jornada da II Liga de futebol, num encontro em que os avenses não conseguiram converter uma grande penalidade.
 
Apesar de ter partido para a ronda 7 na quarta posição, a formação liderada por Artur Marques apresentou-se na Vila das Aves com poucos argumentos e, durante a primeira parte, o controlo pertenceu sempre à equipa de Fernando Valente.
Só que, mesmo com maior posse de bola, os avenses, que não vencem desde a terceira jornada, sentiram muitas dificuldades para furar a defensiva contrária.
A exceção aconteceu aos 38 minutos, quando uma boa jogada de entendimento entre André Costa, Mauro Caballero e Renato Reis quase resultava no primeiro golo da partida – não tivesse o remate do avançado português saído ao lado.
Antes disso, já a equipa da casa tinha protestado de forma veemente, aos 26 minutos, por uma falta dentro de área sobre Renato Reis, mas Manuel Mota nada assinalou.

A grande penalidade a favor do conjunto das Aves acabaria por chegar, aos 64 minutos, quando o árbitro considerou que Godinho carregou Pedro Pereira em falta.
Encarregue da conversão, o mesmo Pedro Pereira permitiu a defesa de João Pinho. O guardião travou ainda a tentativa de recarga de Romaric.
Até ao final, Carlitos, para a Oliveirense (72 minutos), e Andrew (90+3), para a formação da casa, ainda estiveram perto de marcar, mas não conseguiram desbloquear o “nulo”.

Foto de Arquivo


Ligações:
zerozero - Ficha de Jogo
Liga Portugal - Ficha de Jogo

domingo, 14 de setembro de 2014

LEIXÕES - AVES, 2-1; SEGUNDA LIGA - 6ª JORNADA

O Leixões venceu este sábado o Aves por 2-1, em jogo da 6.ª jornada da 2.ª Liga, graças a dois remates certeiros de Ricardo Valente.



Numa partida em que a formação de Horácio Gonçalves demonstrou mais argumentos do que o conjunto da Vila das Aves, o avançado abriu a contagem logo aos 10 minutos e selou a vitória já perto do final da partida, numa jogada de contra-ataque. Os avenses ainda reduziram, por Mauro Caballero, na conversão de uma grande penalidade.

A jogar em casa, o Leixões entrou determinado a garantir a vitória que fugia desde a segunda jornada da prova (frente ao Benfica B) e o ascendente matosinhense deu frutos logo aos 10 minutos, quando Valente respondeu ao cruzamento de Mendes com um cabeceamento de belo efeito, fazendo o esférico entrar no ângulo superior direito da baliza de Quim.

O Aves acusou o revés e só no derradeiro quarto de hora da primeira parte, conseguindo equilibrar os acontecimentos, mas faltou sempre acutilância para chegar ao empate.

No reatamento, a equipa de Fernando Valente entrou mais pressionante, mas foi o Leixões a criar a primeira ocasião quando, aos 53', João Viana cruzou da esquerda e Leandro cabeceou com muito perigo, com a bola a rasar o ferro da baliza de Quim.

E seria mesmo a formação de Matosinhos a voltar a encontrar o caminho da baliza quando, aos 83', numa jogada de contra-ataque, Valente aguentou a pressão de dois opositores e conseguiu rematar cruzado para o fundo da baliza.

Só que já em cima da hora (90'+3), o árbitro Carlos Xistra castigou uma alegada falta de Zé Pedro sobre Mauro Caballero, dentro da área. O avançado paraguaio reduziu a desvantagem, na conversão da grande penalidade, mas já era tarde para evitar a terceira derrota do Desportivo das Aves.

Jogo no Estádio do Mar, em Matosinhos
Leixões-Aves, 2-1.
Ao intervalo: 1-0.
Marcadores:
1-0, Ricardo Valente, 11 minutos.
2-0, Ricardo Valente, 83.
2-1, Mauro Caballero, 90+3 (grande penalidade).

Equipas:

Leixões: Chastre, Gonçalo Graça, Orlando, Zé Pedro, João Viana, Tiago Lenho (Rui André, 79'), Moedas, Cadinha (João Novais, 63'), Mendes, Leandro (Yuanyi Li, 70') e Ricardo Valente.
Suplentes: Ricardo Moura, João Novais, Pedras, Pedro Pinto, Preciado, Yuanyi Li e Rui André.
Treinador: Horácio Gonçalves.

Aves: Quim, Marco André (Zé Valente, 65'), Romaric, Miguel Vieira, André Dias, Luís Manuel (Caballero, int), Tito, Grosso, Pedro Pereira (Perdigão, 76'), Andrew e Renato Reis.
Suplentes: Rui Faria, Júnior Pius, Perdigão, José Valente, Caballero, André Costa e Platiny.
Treinador: Fernando Valente.

Árbitro: Carlos Xistra.
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Tiago Lenho (20'), Grosso (35'), Pedro Pereira (51'), Mauro Caballero (59'), Ricardo Valente (71'), Moedas (81'), Andrew (85'), Tito (89'), Zé Pedro (90'+2 e 90'+5). Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos para Zé Pedro (90'+5).
Assistência: Cerca de 600 espectadores.

Zerozero: Fotogaleria

domingo, 31 de agosto de 2014

AVES - UNIÃO MADEIRA, 1 - 1 : INSULARES EMPATAM NOS DESCONTOS

Desportivo das Aves e União da Madeira empataram a uma bola, em jogo da quinta jornada da II Liga, com os insulares a chegaram ao empate no último lance de jogo.

A equipa orientada por Fernando Valente colocou-se em vantagem já perto do intervalo, graças a um bom trabalho de Mauro Caballero, mas o conjunto de Vítor Oliveira assinaria a igualdade na sequência de um livre direto cobrado por Ayrton, aos 90'+4, já depois de Quim ter defendido uma grande penalidade.

Na Vila das Aves, foi o União da Madeira a entrar melhor, com Calé a estar perto do golo, logo aos oito minutos, após cruzamento de Rúben Andrade, mas o remate saiu ao lado. Três minutos volvidos, a equipa da casa reclamava grande penalidade por mão na bola de Zarabi, mas o árbitro Cosme Machado nada assinalou. À medida que o cronómetro ia avançando, os avenses foram tomando conta dos acontecimentos e viram o ascendente no encontro ser premiado com um golo, aos 41 minutos, com Zé Valente a assistir Mauro Caballero, que contornou Trigueira e atirou para o fundo da baliza.

O União da Madeira entrou na etapa complementar determinado a mudar o rumo dos acontecimentos e teve duas oportunidades de o fazer, logo no primeiro quarto de hora: aos 52, Rúben Andrade estava em boa posição, mas atirou ao lado; aos 59, o árbitro assinalou grande penalidade a favor dos madeirenses, mas Calé permitiu a defesa de Quim. O golo vitorioso dos madeirenses estava reservado para o último minuto da compensação -- Cosme Machado assinalou uma falta sobre Kisley, apesar dos protestos da formação da casa, e Ayrton, que entrou no decorrer do segundo tempo, atirou para o empate.

Jogo no Estádio do Clube Desportivo das Aves, na Vila das Aves
Aves-U. Madeira, 1-1
Ao intervalo: 1-0
Marcadores: 1-0, Mauro Caballero, 41 minutos. 1-1, Ayrton, 90+4

- Aves: Quim, Leandro, Romaric, Miguel Vieira, Jorge Ribeiro, Luís Manuel, Rui Grosso, Pedro Pereira (Platiny, 76), Zé Valente (Perdigão, 69), Ricardo Reis e Mauro Caballero (Andrew, 59)
Suplentes: Rui Faria, Ruben Neves, Andrew, Perdigão, Marco André, Diogo Pires e Platiny
Treinador: Fernando Valente

- U. Madeira: Trigueira, Carlos Manuel, Zarabi, Roberto, Stéphane, Soares, Zé Luís, Calé (Miguel Fidalgo, 69), Rúben Andrade (Ayrton, 81), Élio (Kisley, 60) e Mendy
Suplentes: Ricardo Campos, Diogo Coelho, Babo, Miguel Fidalgo, André Vinicius, Kisley e Ayrton
Treinador: Vítor Oliveira

Árbitro: Cosme Machado
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Zé Luís (15), Zarabi (27), Roberto (35), Miguel Vieira (54), Jorge Ribeiro (68), Renato Reis (90+2), Pedro Grosso (90+4)
Assistência: Cerca de 500 espetadores.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

TARDE PARA ESQUECER

SPORTING CP B3 - 0C.D.AVES




por Manuel Resendes c/Lusa via Futebol365:
 
O Sporting venceu hoje o Desportivo das Aves por 3-0, em jogo da quarta jornada da II Liga de futebol, mas o resultado é enganador, pois a equipa nortenha mandou no jogo até ao segundo golo.
 
O Desportivo das Aves mostrou ser uma equipa bem estruturada, compacta, com quatro ou cinco jogadores de boa qualidade, experientes, com fio de jogo, em contraste com a equipa "B" do Sporting, mais imatura e com os seus processos de jogo ainda por trabalhar e consolidar.

O problema da equipa nortenha foi justamente a definição das jogadas, por alguma falta de qualidade nessa última fase, o que não permitiu que o último passe ou os cruzamentos entrassem em boas condições para o seu ponta de lança Mauro Caballero.

O Sporting mostrou-se uma equipa muito mais desgarrada, com dificuldades em ligar os setores, com os seus jogadores a forçarem, muitas vezes, os lances individuais, o que retirou fluidez e profundidade ao seu jogo.

No entanto, num aspeto os "leões" foram claramente superiores, que foi na eficácia, visto que o Sporting finalizou as escassas oportunidades de golo que criou, não obstante a primeira ter sido fruto da inspiração do argentino Jonathan Silva, que fez um "disparo" potente e inesperado de fora da área, que bateu Quim à passagem da meia-hora.

À beira do intervalo, o Aves desfrutou de um penálti, que podia ter mudado a história do jogo, mas o guarda-redes Luís Ribeiro fez uma grande defesa a remate de Jorge Ribeiro.

Na segunda parte, o Sporting desperdiçou uma boa ocasião num contra-ataque, mas o veterano guarda-redes Quim evitou o pior aos pés de Mica Pinto, que se isolou a passe de Slavchev.

O Aves continuou a comandar o jogo, viu o árbitro anular um golo aos 57 minutos por fora de jogo de Miguel Vieira, até que, aos 64 minutos, se precipitou o momento do jogo, que coincidiu com o segundo golo do Sporting, por Ryan Gauld, um golo felicíssimo, já que a bola rematada de fora da área, numa rápida transição ofensiva, bateu num adversário, tomou altura e traiu o guarda-redes Quim.

A partir daqui o Aves quebrou animicamente, as entradas de Pedro Pereira e Platiny não surtiram efeito, enquanto os jogadores do Sporting ganharam confiança e passaram a ser capazes, finalmente, de pôr a bola no chão e criar lances ofensivos com alguma coerência.

Por outro lado, as entradas de Iuri Medeiros e Gelson Martins deram alguma agitação e agressividade ao jogo do Sporting, que ainda chegou ao 3-0 numa jogada enrolada e um golo esquisito de Enoh, que entrou a dez minutos do fim a render Podencio.

domingo, 24 de agosto de 2014

PENÁLTI NOS DESCONTOS SEGURA VITÓRIA

C.D.AVES2 - 1FEIRENSE
Renato Reis Miguel Vieira (p.b.)
Pedro Pereira
por Manuel Resendes c/Lusa, via Futebol365:

O Desportivo das Aves venceu hoje o Feirense por 2-1, em partida da terceira jornada da II Liga de futebol, conseguindo o tento da vitória já em período de compensação, através de um penálti convertido por Pedro Pereira.
 
A "benesse" da grande penalidade para os locais acaba por conferir alguma justiça ao resultado, uma vez que foram os avenses a fazer mais para justificar os três pontos, embora numa partida disputada, quase sempre, em ritmo lento.

A equipa das Aves entrou melhor na partida e Pedro Pereira, à passagem do minuto 13, esteve perto de abrir o marcador, com um forte remate exterior, opondo-se Paiva com uma grande defesa.
Em destaque ao longo da primeira parte, o guarda-redes do Feirense voltou a mostrar qualidade, já perto da meia hora de jogo, travando, desta vez, um cabeceamento de Platiny.

Aos 42 minutos, o Desportivo das Aves chegou ao golo numa boa iniciativa de Renato Reis, no lado esquerdo, culminada com um forte remate cruzado que não deu hipótese de defesa a Paiva.

A vantagem avense, porém, não durou muito, já que Miguel Vieira, aos 45 minutos, marcou na própria baliza quando tentava intercetar um cruzamento adversário no interior da pequena área.

A segunda parte começou, com o Desportivo das Aves mais balanceado para o ataque, continuando o Feirense na expetativa de surpreender o adversário em contra golpe.
No entanto, as ocasiões de golo escassearam até ao minuto 71, quando um remate de Caballero voltou a ser bem defendido por Paiva.

Perto do final, aos 85 minutos, Cafú esteve perto de sentenciar o jogo a favor do Feirense, com o avançado a desviar a bola do alcance de Quim, valendo aos avenses o corte de Miguel Vieira praticamente em cima da linha de golo.


Mas já nos descontos, o Aves chegou à vitória, beneficiando de uma grande penalidade convertida por Pedro Pereira, castigando uma falta clara de Pedro Santos sobre Caballero, que impôs o 2-1 final.


quarta-feira, 20 de agosto de 2014

ABANDONO PREMATURO DA TAÇA DA LIGA

C.D.AVES0 - 1TROFENSE

Riascos, 69'


por Manuel Resendes c/Lusa via Futebol365:


Um golo do colombiano Bryan Riascos garantiu hoje a vitória (1-0) ao já apurado Trofense e afastou o Desportivo das Aves da segunda fase da Taça da Liga de futebol, em encontro da quinta jornada do Grupo D.
 
Riascos marcou aos 69 minutos, após vencer a oposição do guarda-redes Rui Faria, depois de um passe que o isolou a meio do meio-campo de um Aves hoje trapalhão e sem fio de jogo.

Com muitas alterações nos dois "onzes", a formação local necessitava apenas de repetir o resultado do Atlético, com menos um ponto (acabou por vencer na receção ao Beira-Mar, por 2-0), mas nunca encontrou o antídoto para bater uma formação que surgiu em campo sem complexos.

O encontro teve poucos motivos de interesse e nem as duas tentativas do avense Pedro Pereira, aos 28 e 38 minutos, espevitaram um jogo com poucas oportunidades de golo.
O Trofense ameaçou verdadeiramente a baliza de Rui Faria aos 55 minutos, num forte remate de Bruno Simões à entrada da área e seria já com os habituais titulares Eduardo Enrique e Hélder Sousa que o Trofense chegaria à vantagem.

O técnico do Aves recorreu aos reforços Jorge Chula e Mauro Caballero, este último em estreia absoluta, mas a aposta não deu resultado e ao resultado negativo juntavam-se as informações da Tapadinha e dos golos do Atlético, igualmente apurado para a segunda fase da competição.


sábado, 16 de agosto de 2014

DERROTA EM BRAGA

SP. BRAGA B2 -0C.D.AVES
Chidi Osuchukwu, 25'
Fábio Martins, 87'
por Manuel Resendes c/Lusa via Futebol365:

O Sporting de Braga B recebeu e venceu hoje o Desportivo das Aves por 2-0, em jogo da segunda jornada da II Liga de futebol, em que os bracarenses foram superiores ao longo dos 90 minutos.
 
Os golos de Chidi, aos 25 minutos, e de Fábio Martins, ex-Desportivo das Aves, aos 87, valeram à equipa de Fernando Pereira o primeiro triunfo no campeonato, após a derrota averbada em Tondela (1-0), na jornada inaugural.

Numa primeira parte quase sempre disputada com pouca intensidade, o Braga B foi a única equipa capaz de levar perigo à baliza de Quim, através da dinâmica imposta nas alas por Piquéti e Fábio Martins.
Após Núrio ter ameaçado o golo com um remate de primeira, que foi desviado por Luís Manuel, aos 21 minutos, a formação "arsenalista" adiantou-se no marcador, quando Chidi arrancou pelo corredor central e, de fora da área, desferiu um remate que tabelou em Romaric e traiu Quim (25).
A formação avense colocou a defensiva contrária em dificuldades apenas por uma vez, quando Andrew, após se ter isolado pelo lado direito do ataque e ultrapassado Tiago Sá, ficou sem ângulo e rematou em direção ao outro flanco (27 minutos).

Na segunda parte, a formação de Fernando Valente jogou mais tempo no meio-campo bracarense, mas mostrou-se incapaz de criar ocasiões para bater Tiago Sá, e a tarefa avense complicou-se, aos 69 minutos, quando Ginho entrou por trás, a pés juntos, sobre Nuno Valente e foi expulso por Olegário Benquerença.

Em superioridade numérica, a equipa da casa controlou os 20 minutos finais, circulou a bola e ainda marcou mais um golo, aos 87 minutos, num cabeceamento de Fábio Martins, ao primeiro poste, após canto de Nuno Valente. 

Fábio Martins decidiu o encontro desta vez na equipa adversária.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

FEIRENSE - AVES, 1-1; AVES SOBE AO SEGUNDO LUGAR DO GRUPO D

O Feirense e o Desportivo das Aves empataram (1-1), em jogo da quarta jornada do Grupo D da Taça da Liga, disputado no Estádio Marcolino de Castro em Santa Maria da Feira. O Feirense colocou-se em vantagem com um golo na própria baliza de Miguel Vieira (26'), mas o Aves chegaria ao empate na segunda parte, por intermédio de Platiny (80'). Com este resultado, o Desportivo das Aves ascendeu ao segundo lugar do Grupo D, com cinco pontos, beneficiando da derrota do Atlético no terreno do Trofense (2-1).

Apesar de um início mais audaz, o Desportivo das Aves sentiu dificuldades para acertar na baliza do Feirense e um infortúnio de Miguel Vieira ditaria o primeiro golo dos fogaceiros. O Desportivo das Aves cortou um cruzamento de Gonçalo Abreu de forma defeituosa e a bola acabou por entrar na baliza de Rui Faria, aos 26 minutos.

A equipa de Fernando Valente partiu à procura do golo do empate, que viria a acontecer depois de vários lances de insistência na área do Feirense. Aos 80 minutos, Platiny converteu da melhor forma um livre direto, não dando hipóteses de defesa a Miguel Assunção.

Nos minutos finais o Feirense ainda tentou chegar à vitória, mas o Desportivo das Aves foi consistente na zona defensiva.

Jogo no Estádio Marcolino de Castro, em Santa Maria da Feira
Feirense-Aves: 1-1
Ao intervalo: 1-0
Marcadores: 1-0, Miguel Vieira, 26 minutos (própria baliza). 1-1, Platiny, 80'
- Feirense: Miguel Assunção, Carvalho, Joca, Tiago Jogo, Gonçalo Abreu, Ruben Oliveira, Cris (Hélder Rodrigues, 83'), Diogo Fonseca (Cafú, 67'), Zé Mário (Micael Freire, 57'), Renato Maia e Barge
Suplentes: Paiva, Pedro Santos, Igor Rocha, Hélder Rodrigues, Cafú, Yorn e Micael Freire
Treinador: Pedro Miguel
- Aves: Rui Faria, Tito (Grosso, 40'), Ruben Neves (Pedro Pereira, 62'), Perdigão, Romaric, Jorge Ribeiro, Renato Reis (Andrew, 71'), Marco Freitas, Miguel Vieira, Diogo Pires e Platiny
Suplentes: Fábio, Grosso, Ginho, Pedro Pereira, Andrew, André Dias e Jorge Chula
Treinador: Fernando Valente

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)
Ação disciplinar: cartão amarelo para Cris (54'), Renato Maia (58'), Romaric (61'), Barge (76'), Rui Faria (85') e Diogo Pires (90'+1)
Assistência: cerca de 200 espetadores.

sábado, 9 de agosto de 2014

VITÓRIA NA JORNADA INAUGURAL

C.D.AVES2 - 1MARÍTIMO B
Pedro Pereira, 30' Filipe Oliveira, 52'
Andrew, 34'
por Manuel Resendes c/Lusa, via Futebol365:

O Desportivo das Aves recebeu e bateu hoje o Marítimo B por 2-1, num encontro relativo à jornada inaugural da II Liga portuguesa de futebol da época 2014/15.
 
Os avenses estiveram melhor na primeira parte, altura em que marcaram os seus dois golos, através de Pedro Pereira, aos 30 minutos, de grande penalidade, e de Andrew, aos 34, respondendo os insulares na etapa completementar, com um golo de Filipe Oliveira, aos 52, também de penálti.
Nos minutos iniciais, o Marítimo B ainda deu a sensação de que iria discutir o jogo, mas, aos poucos, a equipa anfitriã tomou conta das operações.
Com um futebol dinâmico e apoiado, o Aves apoderou-se então do meio-campo, ante um Marítimo B macio e algo apático, fez o 1-0 de grande penalidade, por Pedro Pereira (30). Quatro minutos depois marcou novamente, por Andrew, que aproveitou uma boa assistência de Pedro Pereira.
No segundo tempo, o Marítimo transfigurou-se, criou grandes problemas ao Aves e reduziu para 2-1 através de uma grande penalidade convertida por Filipe Oliveira, aos 52.

A situação piorou para o Aves com a expulsão de José Valente (64), devido a uma entrada dura e imprudente sobre Filipe Oliveira.
Quase sempre pelo lado esquerdo, os madeirenses aproveitaram a superioridade numérica e pressionaram fortemente o Aves com sucessivas investidas ofensivas, mas pecaram por notórias carências de finalização.
Nesse período difícil, o Aves raramente atacou, defendeu como pôde a sua baliza e beneficiou também da experiência e do acerto do veterano guarda-redes Quim, que nunca tremeu e transmitiu segurança quando a equipa mais precisou dele.
Quim segurou os três pontos para a sua equipa com uma grande defesa aos 83 minutos, desviando para canto um remate forte e muito perigoso de Filipe Oliveira, jogador que foi a unidade mais perigosa do conjunto visitante.

Pedro Pereira fez o segundo golo de grande penalidade em jogos oficiais.
Ficha do Jogo:
Jogo no Estádio do Clube Desportivo das Aves, na Vila das Aves.
Desportivo das Aves - Marítimo B, 2-1.
Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:
1-0, Pedro Pereira, 30 minutos (grande penalidade).
2-0, Andrew, 34.
2-1, Filipe Oliveira, 52 (grande penalidade).

Equipas:
Desportivo das Aves: Quim, Leandro, Romaric, Ginho, Jorge Ribeiro, Luís Manuel, Grosso (Tito, 69), Ruben Neves, Pedro Pereira (Perdigão, 73), Andrew (Platiny, 70) e José Valente.
(Suplentes: Rui Faria, Tito, Perdigão, Renato Reis, Miguel Vieira, Diogo Pires e Platiny).
Treinador: Fernando Valente.

Marítimo B: Sá, Tiago, Cristiano, Touré, Armando, Pana (Ibrahim, 77), Gonçalo Dias (Amaro Neto, 61), Carlos Daniel, Filipe Oliveira, Fábrio Abreu (Kenyn, 77) e Xavier.
(Suplentes: Rui Vieira, Igor Rossi, Ibrahim, Amaro Neto, Jake, Kenyn e Marcos).
Treinador: João Gonçalves.
Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal).
Ação disciplinar: Cartão amarelo para Grosso (14), Filipe Oliveira (19), Cristiano (27), Pana (29), Leandro (51), Xavier (87), Ibrahim (90+3) e Tito (90+3). Cartão vermelho direto para José Valente (64).
Assistência: Cerca de 500 espetadores.

Ligações:
Liga Portugal - Ficha de Jogo
zerozero - Ficha de Jogo

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

ANDRÉ COSTA DUAS ÉPOCAS NO AVES

André Costa rescindiu com o Rio Ave é é reforço do Aves para as próximas duas temporadas. O lateral/extremo direito tinha contrato com os vila-condenses por mais duas épocas, mas, sem espaço na equipa de Pedro Martins, acertou o fim da ligação ao clube, prosseguindo agora a carreira na II Liga. 

Na última temporada, André Costa, 21 anos, esteve cedido ao Gondomar, do Campeonato Nacional de Seniores, curiosamente a equipa onde deu nas vistas antes de rumar a Vila do Conde.

André Costa

terça-feira, 5 de agosto de 2014

JÁ SO FALTA O SIM DE GONÇALO PACIÊNCIA

Falta apenas o sim de Gonçalo Paciência para que o avançado se torne reforço do Aves para a próxima temporada. O emblema avense e o FC Porto já chegaram a acordo para uma cedência com a duração de uma época e a decisão está agora nas mãos do talento da formação azul e branca.

Gonçalo Paciência

Sem espaço para assumir desde já um lugar entre as opções de Julen Lopetegui, Gonçalo Paciência sabe que terá pela frente mais um ano ao serviço da equipa B dos dragões. Um cenário que não desagrada ao jogador, apesar de os responsáveis portistas acreditarem que ele terá na Vila das Aves todas as condições para continuar a sua evolução.

Aos 20 anos, Gonçalo Paciência é visto como uma das principais esperanças do FC Porto para o futuro, mas a continuidade de Jackson Martínez e a provável compra de mais um elemento para a frente de ataque retiram-lhe a oportunidade de somar minutos já esta época com a camisola da equipa principal dos dragões. Desta forma, competir por uma formação com ambição como o Aves pode ser o cenário ideal para que o avançado consiga crescer enquanto jogador, esperando que regresse mais maduro e em condições para, na próxima temporada, se afirmar em definitivo no seu clube do coração.

Os responsáveis avenses acreditam que vão convencer o atacante, mas este só deve apresentar-se às ordens de Fernando Valente na reta final do mês.

Boas relações

O Aves e o FC Porto têm mantido boas relações nos últimos tempos e isso até já teve repercussão esta época, com a cedência de Caballero. Algo que também ficou patente no negócio de Fábio Martins, que se valorizou na Vila das Aves e se transferiu recentemente para o Sp. Braga, com os dragões a lucrarem pela transferência.

ARMANDO SILVA DÁ AGORA ULTIMATO

in Jornal ABOLA (4 de agosto de 2014):

"Não estive no camarote do estádio, nem no banco porque não sou o presidente do Aves desde 30 de julho", justificou, para todos os efeitos, Armando Silva, o ainda líder do emblema minhoto, que tem chamado a atenção dos Avenses para a necessidade de ser encontrada uma saída para o impasse diretivo.
"Estou à espera que alguém tome a iniciative de assumir a presidência da SDUQ. Eu próprio já tomei a iniciativa de formar um elenco para a Direcção do clube, mas acumular a sua presidência com a da sociedade está totalmente fora de questão", frisou.
Armando Silva mostra-se desiludido e faz mesmo um ultimato: "Se até 30 de agosto nada for resolvido nem como presidente do clube fico".

Armando Silva continua à espera de uma solução.